Moinho Zona Norte

Artistas visuais da cidade abrem espaços para a arte urbana no Moinho

18 de dezembro de 2020 - 14H18

A arte transforma pessoas e ambientes, muda o jeito de olhar, de sentir e de pensar. Por isso, o Moinho convidou artistas visuais de Juiz de Fora para preencher, com arte, alguns de seus espaços, oferecendo novos estímulos e perspectivas aos atuais e futuros frequentadores do empreendimento, na Zona Norte.

Com curadoria de Pedro Carcereri e produção de Mariana Martins, a pintura dos tapumes começou nesta semana e se estende até a próxima sexta-feira, dia 19 de dezembro. “Por acreditamos que a convivência transforma, estamos criando um ambiente favorável à presença e à convivência das pessoas, tornando o Moinho um lugar agradável e acolhedor, conectado com a cidade para oferecer boas e transformadoras experiências aos usuários. A arte contribui muito para isso. Arte é inclusão. Precisamos trocar armas por cultura”, destaca Ricardo Podval, CEO do Moinho.

Participam da produção, os artistas Josimar Freire, Nathalia Medina, Gabi Lemos e Dalton Carvalho. “Com uma linguagem e estilo próprios, o objetivo de mesclar os trabalhos desses artistas foi desenvolver uma obra alinhada com o propósito do Moinho de ser esse espaço múltiplo, diverso, de interação, inclusão e reforço da identidade, indo além do espaço geográfico”, argumenta o curador Pedro Carcieiri.

 

Processo criativo coletivo

Depois de um mergulho na identidade do Moinho e uma série de visitas, os artistas se reuniram para criar coletivamente o projeto. “O desafio que fiz aos artistas foi transformar a pintura dos tapumes numa experiência colaborativa, bem alinhada com a cultura do Moinho, na qual o protagonismo está na construção coletiva”, acrescenta Carmen Calheiros, Executiva de Comunicação do Moinho.

 

O Moinho

O Moinho é um moderno mini centro urbano, um ecossistema integrado para atender as necessidades da Zona Norte – Saúde, Educação, Moradia, Comércio e Empreendedorismo – projetando a região e a cidade para um futuro melhor, mais sustentável. O empreendimento, de 33 mil m2 de área construída, é resultante do retrofit e da adaptação das instalações do antigo Moinho Vera Cruz, inaugurado em 1958 e desativado no início dos anos 2000. O retrofit permitiu um aproveitamento de mais de 80% da estrutura. Como propósito, o Moinho é um empreendimento destinado à transformação de ideias, de pessoas, de comportamentos e da cultura. Por meio do Moinho Lab, pretende estimular o empreendedorismo e multiplicar o conhecimento, fazendo as conexões para construir uma rede sólida de suporte e capacitação, nos meios físico e digital, para que problemas, soluções e estratégias sejam pensadas coletivamente, de forma estruturada, organizada e colaborativa, entre os diversos atores do ecossistema. Saiba mais em: www.nossomoinho.com

 

 

Mais informações:

Carmen Calheiros

(32) 99195-2191

Leia também